Igreja Matriz de São Julião



O mais precioso pergaminho com que Mangualde pode documentar a sua longínqua origem, a Igreja Matriz. A igreja levantada tão longe do povoado deriva de um pequeno monasterium estabelecido nesse lugar nos meados do séc. XII por um tal Pedro Sesnandes rico de haveres e de piedade. No começo do séc. XII, transforma-se em Igreja Matriz de São Julião, também altura da criação do concelho de Azurara (1102).

A atual igreja é de fundação dionisíaca do séc. XIII-XIV, restando desse tempo apenas o portal de volta quebrada da fachada Sul, algumas pedras sigladas e os cachorros românicos-góticos da fachada Sul. Em 26 de fevereiro de 1838 a frontaria ruiu, sendo reconstruída em 1841, não se guardando nessa reconstrução as características da sua primitiva feição.

A Capela-mor oferece um belíssimo conjunto de talha dourada de estilo nacional iniciado em 1709. No adro existem sepulturas escavadas na rocha da necrópole medieval.